LARGADA DE YOKOHAMA-TÓQUIO


29 De Julho 2010
Eram 09:40 quando o som do apito do Mestre ecoa no navio, os militares ocupam os seus postos de faina geral. Está quase na hora da largada, ao som de uma banda militar Japonesa, que entre algumas músicas tocaram a “Marcha dos Marinheiros”, vão-se recolhendo as espias de amarração uma a uma permitindo que o navio se afaste lentamente. Mais um porto que fica para traz, Yokohama-Tokyo. Durante 5 dias aproveitou-se da melhor maneira a estadia nesta cidade Nipónica para conhecer os hábitos e costumes deste povo, algo diferente, onde se nota que é pouco expressivo que raramente manifesta as suas emoções, algo tímidos talvez. Inúmeros estudos têm sido feitos tentando compreender a personalidade deste povo, acentuadamente após a Segunda Guerra Mundial. Durante este período a bravura dos soldados japoneses, para quem era preferível a morte à rendição, a destruição de duas cidades japonesas, Hiroshima e Nagazaky no final da Segunda Guerra Mundial que matou milhares de Japoneses, talvez daí venha esta personalidade esta maneira de estar deste povo, que é muito correcto e muito educado. Também a grande barreira que é língua, que dificulta imenso a comunicação, pois ao abordar as pessoas na rua são poucas as que falam o inglês e quando o falam a prenuncia é um entrave. A nível tecnológico estão muito, muito a frente. Durante a estadia, a “Barca” permaneceu atracada em Yokohama a cerca de 35 minutos de comboio da grande capital Nipónica Tóquio onde se visitou vários pontos de interesse, sempre como meio de transporte o metro, o segundo mais completo do mundo depois de Paris. Também se aproveitou para visitar na localidade de Kamakura onde se encontram os característicos Templos Japoneses, que estamos habituados, a contemplar nos filmes dos Samurais. Em relação a sua gastronomia, imaginava que era um obstáculo, puro engano, pratos muito saudáveis e saborosas, com um inconveniente, os famosos pauzinhos (seu talheres) que de inicio provocaram alguma dificuldade. Em relação ao seu prato mais famoso “Sushi”, não me convenceu. No último dia da nossa estada, a guarnição da “Barca” foi presenteada com uma magnífica recepção a bordo do navio de Guerra “ Haruyuki”, onde se pôde degustar as magnificas iguarias tradicionais desta região.
Um dos motivos que nos trouxe a tão longínquas paragens é as comemorações dos 150 anos de assinatura do ” Tratado de Paz e Amizade e Comércio entre o Portugal e o Japão”. Após prolongada presença portuguesa, inicialmente no sul e centro do Japão (de 1543 a 1639), as relações diplomáticas entre os dois países foram formalmente estabelecidas pelo Tratado de Paz, Amizade e Comércio, assinado em 1860, pelo Rei D. Pedro V e o Imperador do Japão.

4 comentários:

Anónimo disse...

BOA TARDE SR VIEIRA.CONTINUAÇÃO DE BOA VIAGEM.O PADEIRO QUE FAZ O BELO DO PÃO NÃO DÁ SINAL DE VIDA,LEVA O TEMPO TODO A FAZER PÃO?CUMPRIMENTOS.TERESA SIMÕES.

A.Lourenço disse...

Ao ler esta crónica e principalmente quando o meu amigo se refere "ás magnificas iguarias", veio-me á memória , aquando na 1ª VCN, e precisamente em Tóquio, numa saida com uns amigos, entramos num bar para beber uma cervejita (na altura eram garrafas de 1/2 litro) e para além da tradicional caneca de chá, puseram-nos á frente um petisco. Umas fatias de carne muito finas com um molho muito agradável.
Soube-nos muito bem a todos, até sabermos do que se tratava.
Estivemos em dezembro de 1978, em Tóquio. No inverno parece que é (ou era) costume dos nipónicos, para além de outras "iguarias", deliciarem-se com esta. Apenas no inverno, porque a carne de cão é muito quente.
Continuação de boa viagem
E mais uma vez, aproveitem, pois o mais provavel, é ser uma unica vez na vida.
Citando não sei quem, pois vi hoje esta frase, numa MSG do facebook, referente á nossa ultima perda. (António Feio, deixou-nos).

‎"Aproveitem a vida e ajudem-se uns ao outros. Apreciem cada momento, agradeçam e não deixem nada por dizer, nada por fazer"

A.Lourenço

Conceição disse...

Mais uma maravilha de aula de geografia , magnifico vejo sempre todas as fotos como tambem leio todos os comentario , mas devo confessar que o que me encantou mais até agora foi mesmo o Japão estou mesmo encantada .Como diz o A Lourenço vamos aproveitar o que a vida tem para nos oferecer porque ela é muito curta e o que voces estão a viver é unico, por isso é melhor aproveitar a mensagem do Antonio Feio. Continuação de bons ventos um beijo para todos um especial para o meu filho Manuel Silva

............................. disse...

Mais um excelente relato do que se passa nessa odisséia pelo mundo!!!
A cada foto, relato tento estar mais próxima daquele marujo que conquistou meu coração.
Abraços a todo e especial ao meu amado Rui Alves.
Amo-te Gato!