PUNTA ARENAS...

Isto é o maximo que se pode chegar ao sul sem sair do planeta.
Aqui se chega ao fim do mundo. Benvindo à Patagônia Austral do Chile. Foi em outubro de 1520 numa dourada desventura de ventos e tempestades, o navegante português Fernão de Magalhães chega a estas longinqua paragens e encontra os povos"Kaweshkar" que eram canoeiros e ao longo do litural os Yamanas e Aonikenk. Punta Arenas, capital da região de Magalhães e da Antartica Chilena, é o principal centro comercial de serviços, comunicação, história e cultura do sul do continente Americano. Sua história começa em 18 de dezembro de 1848, quando o governador do território de Magalhães Coronel José de los Santos Mardones, funda a cidade a 60 km ao norte do Forte Bulnes, primeira povoação Chilena da Patagônia. Punta Arenas com mais de 130 mil de habitantes, é uma pujante cidade que se desenvolve com o exemplo, dos pioneiros Croatas, Espanhóis, Suiços, Franceses, Ingleses, Italianos, Alemães, Gregos e outros que junto aos primeiros colonos da ilha Chiloé constituem hoje uma comunidade vital e generosa, aberta ao mundo. A capital da região de Magalhães, a mais extensa do Chile com 1.382.033 km2, esta localizada no paralelo 53º sul, sendo acessada por vias maritimas, aéreas e terrestres no sul dos Andes Patagônicos e de frente para a cordilheira Darwin, localizada na Terra do Fogo.

4 comentários:

JA disse...

Importa carregar energia para todos que por aqui passam e são muitos. Bons ventos

Dois clips de video desse lugar fabuloso.

http://www.youtube.com/watch?v=04b5E8SKE9g

http://www.youtube.com/watch?v=hswHd6HtcKc

Ana Soares disse...

Transcrevo o que disse o primeiro interlocutor um lugar fabuloso!
Cumprimentos

CG1127 disse...

Boa Pascoa e bom ventos,
Um beijinho cheio de saudades para VMTAD... ate ja (64d!)
Cristinina

Anónimo disse...

Deixo aqui o meu testemunho de reconhecimento pela qualidade e interesse de bem informar postos pelo reponsável do blog (Filipe Vieira), nestas suas crónicas.Casam bem com as do Diário de Bordo do Cte Proença Mendes ou seja, são leituras recomendáveis (acompanhadas de excelentes imagens) que não só nos transportam para a viagem da Sagres ,como também nos transportam para o passado das nossas navegações de Quinhentos, como ainda e também para a História e Geografia(Física e Social)dos locais percorridos. Ventos de feiçao por esses estreitos e canais da Patagónia são os meus votos.
luisfgouveia@sapo.pt